segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Liberdade

Eu liberto a minha alma,
quando em seu amor ela se acalma.
Desacorrento a  minha dor,
sentindo a intensidade do nosso amor.
Esqueço o medo de me entregar,
ao perceber onde nosso amor pode chegar.
Do mundo esqueço o perigo,
no seu abraço eu tenho abrigo.
Nos seus olhos eu vejo não a escuridão,
mas a luz que conduz uma paixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário